Untitled Document

SAMURAIS E NINJAS

            Os samurais são famosos por seu código de honra e sua dedicação aos senhores feudais ou quem estes defendiam. Eram guerreiros que representavam e protegiam a nobreza. Igualmente comparado com o lutador de sumô (outra luta de espetáculo japonês), dizem que para que estes sejam recebidos pelo imperador basta bater à porta. Os samurais são comparados aos cavaleiros da idade média.
Os samurais foram os guerreiros do Japão feudal, dominando o país por quase 800 anos (séc. VIII ao XIX) e ocupando alta posição social durante a ditadura militar – o “Shogunato”.
Samurai significa “aquele que serve” e, como tal, servia com extrema lealdade aos senhores feudais que os contratavam a contrapartida de privilégios, terras ou pagamentos em arroz.
Inicialmente eram apenas coletores de impostos e servidores civis do império até ser oficializado o termo “samurai” no século X, juntamente com uma série de novas funções, inclusive a militar.
Seu código de honra era o Bushido (“o caminho do guerreiro”) que pregava a busca da morte com dignidade. Em virtude desse código, era tradicional o Harakiri (ou Seppuku), um ritual de suicídio quando derrotados em batalha ou desgraçados por outra falha. O harakiri era assistido por testemunhas e o samurai devia suicidar-se de forma lenta e dolorosa, em silêncio, sem perder o auto-controle.
As artes marciais utilizadas exigiam aperfeiçoamento da técnica, bem como o fortalecimento do espírito (autodisciplina e controle). Já as armas eram consideradas a aluna do samurai e com o decorrer do tempo, “ganhava” a personalidade dele.
Já os ninjas são guerreiros mercenários que lutavam a favor de seu próprio interesse ou de um clã a que pertencia. Agia na maioria das vezes por dinheiro, ao contrario dos samurais, não obedeciam o Bushido, mas possuíam seu próprio código de conduta. A causa da missão não importava muito, seja ela boa ou ruim. Eles faziam a vez da espionagem em outros clãs e matavam se necessário fosse pra atingirem seus objetivos, já que pelo que se conta, um ninja conhecia bem a anatomia humana e sabia justamente onde e quando atacar para que a vítima ficasse a seu dispor, morta ou apenas desmaiada por quanto tempo julgasse necessário.
Para uma melhor compreensão do mundo dos ninjas, recomenda-se a leitura do conto inserido no primeiro capítulo do livro “Ninja – Toque Mortal”, da editora Ediouro.

Área Restrita