Untitled Document

A FORMA CAUSATIVA

            Essa forma é usada para expressar o fato de que alguém faz ou deixa alguém fazer algo. Por exemplo:
Watashi no inu ni esa o tabesasemashita (Fiz meu cachorro comer a ração)
Para a formação da causativa, procede-se assim:

Nos verbos do tipo I, troca-se o –u por –aseru: tsubusu para tsubusaseru (fazer alguém esmagar).
Existe uma exceção nos verbos do tipo I que terminam em duas vogais, como é o caso do tatakau (disputar) que se forma tirando o –u e colocando o –waseru no lugar. Tatakau fica tatakawaseru.

Nos verbos do tipo II, muda-se o –ru por –saseru: tsukamaeru (capturar) passa para tsukamaesaseru.

Nos verbos do tipo III, kuru passa para kosareru e suru para saseru.

Nos verbos intransitivos a pessoa induzida é indicada por o e nos transitivos por ni e os objetos por o.

Como a forma causativa é usada para indicar que alguém faça algo a força, não se tem coerência em uni-la a maneira cortês de pedir algo. Assim, quando unimos a forma –te kudasai (pedido) a causativa, esta frase final fica com sentido de “deixe-me fazer algo?”. Por exemplo:

Sono zasshi o yomasete kudasai (Por favor, deixe-me ler essa revista?)

Já quando unida a passiva (-rareru), a frase fica com o sentido de que alguém é forçado a fazer algo. Observe a transformação do verbo, passo a passo, no caso de um verbo do tipo I (harau – pagar):
harau ->       harawaseru  ->        harawaserareru.

Numa frase como esta fica assim:
Jugyouryou o harawaseraremashita (fui forçado a pagar a mensalidade).

Área Restrita