Untitled Document

A FORMA VOLITIVA

            Quando se deseja expressar a vontade de se fazer algo, é empregado a forma volitiva; a forma que vale pela expressão “tenho vontade de...” Esta forma é constituída como se segue:

            Substitui-se o –u por –ou nos verbos do tipo I:

Iku = Ikou (Tenho vontade de ir)
Hiku = Hikou (Tenho vontade de puxar)
OBS: Há a exceção dos verbos que terminam em –tsu, passando para –tou:
Utsu = utou (Tenho vontade de atirar)

            Troca-se o –ru por –you nos verbos do tipo II:

Kiru = Kiyou (Tenho vontade de vestir)
Taberu = Tabeyou (Tenho vontade de comer)

            Muda-se de KURU para KOYOU e de SURU para SHIYOU nos verbos do tipo III.

            Quando acrescida a forma “to omoimasu”, a forma volitiva passa a expressar a condição futura do verbo. Por exemplo:
Assate haha wa aou to omoimasu.
Acho que vou encontrar minha mãe depois de amanhã.

            Outra função da forma volitiva é esta ser usada para expressar convites (no estilo comum). Por exemplo:
Eiga o mi ni issho ni ikou!
            Vamos juntos ver o filme!

Quando seguida por “to suru”, a forma volitiva tem a função de expressar uma ação prestes a ocorrer:
Anata ni denwa o shiyou to shita toki, denwa-bangou o wasurete shimatta.
Quando estava pra lhe telefonar, acabei esquecendo o número.

            Além disso, a forma “to suru” também pode expressar uma tentativa de algo:
Kusuri o nomou to shita ga, nigakute nomenakatta.
Tentei tomar o remédio, mas era tão amargo que não consegui.

Área Restrita